Os 20 vitrais que compõem a catedral de Joinville foram confeccionados por uma empresa da capital paulista. Como o custo era muito alto, a colocação das obras aconteceu em etapas. Os seis primeiros vitrais mostram os “Atributos do Pai”, do caos da criação até a passagem pelos três reinos (mineral, vegetal, animal), as próximas sete imagens representam os sacramentos da igreja católica, já os últimos sete mostram o homem chegando até Deus pelo seu trabalho, profissão e oração no dom do Espírito Santo.
“Não bastam apenas colocar imagens de santos nos vitrais, eles precisam ter uma caminhada teológica”, defende Monsenhor Bertino.

O sentido dos vitrais

São a alma da Catedral. Sem eles toda essa construção não passaria de simples blocos amorfos e sem sentido.

Materialmente, representam LUZ e SIMBOLICAMENTE a GRAÇA DIVINA que nos assiste, ilumina e alimenta.
A IDÉIA DE FUNDO é a teoria da dinâmica evolutiva na visão de Tilhard de Chardin. Corresponde mais ao estilo estrutural da Catedral e representa, de certa forma, uma síntese doutrinal.

Os vitrais foram pensados de uma forma tal que agradassem a todos, pelo jogo de cores, mas fosse também fonte de inspiração para os estudiosos pelo profundo sentido que apresentam.
Na execução se adotou um tipo mais condizente com o contexto e estilo da catedral, chamado Vitral cimentado, no qual a própria nervura tem efeito ornamental.

A Catedral tem forma circular – oval, com um perímetro sem começo nem fim. Essa mesma idéia foi transportada para os vitrais. Todos eles estão dispostos em círculo e quando pensamos que já vimos tudo, o olhar é atraído para o seguinte, porque no fundo de cada vitral, se encontram à direita, em baixo, os primeiros vestígios do seguinte. Foram criados como um painel contínuo. Em progressão.

Nos DESENHOS distinguimos dois ELEMENTOS:

TEMA em si mesmo – uma idéia que caminha.

O MOVIMENTO DE FUNDO – Constituído por espirais em forma oval que vai interligando um vitral ao outro. Sugere evolução, ritmo, progressão e leva a procurar o vitral seguinte.

OS SÍMBOLOS ao longo de todo aquele painel, nas diversas janelas, também foram distribuídos num sentido de CONTINUIDADE E MOVIMENTO. Os símbolos não foram colocados claros demais para não serem esgotados num primeiro olhar. Nem obscuros demais para não serem compreendidos. Em vez de ficar diante do mistério do vidro, é preferível ficar diante do mistério de Cristo. Estão distribuídos em 3 séries:
A atuação do Pai;
A atuação de Cristo através dos Sacramentos;
A atuação do Espírito Santo.

COMO LOCALIZAR OS VITRAIS – Entre pela porta principal e siga até o altar central. Volte-se novamente para a porta principal, e, à sua direita, encontrará um vitral assinalado com a letra A. É o primeiro de uma série de 6 que mostram a ATUAÇÃO DE DEUS na criação do mundo até a criação do homem e o nascimento de Cristo.