Catedral São Francisco Xavier
Notícias da Igreja
 
08.Fev - Padres ressaltam bom senso e maturidade para o cristão no carnaval
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
Padres ressaltam bom senso e maturidade para o cristão no carnaval

O carnaval é uma tradicional festa popular comemorada por milhões de brasileiros. Apesar de sua origem pagã, a festa é vista pela Igreja como uma oportunidade de evangelização, afirmou o Vice-reitor do Santuário do Pai das Misericórdias, na sede da Canção Nova – em Cachoeira Paulista (SP) -, padre Márcio do Prado. O sacerdote ainda esclarece: “O carnaval não é proibido, desde que se viva como cristão no carnaval”.


A festa era na antiguidade, de acordo com o sacerdote, uma despedida da carne, proposta que foi incorporada no tempo de penitência e abstinência vivido pela Igreja, a Quaresma. “Se faz festa sim, e depois se entra neste clima penitencial, de abstinência, de oração, mas também de caridade. Então a Igreja vê sim o carnaval como uma oportunidade de evangelização”, reiterou padre Márcio.


“Graças ao bom Deus ainda existem lugares e pessoas que festejam o carnaval de forma saudável, em família, onde realmente se vive uma brincadeira, não uma depravação, bebedeira, sexualidade e essas realidades. Os retiros, rebanhões e os vários encontros de carnaval conseguem proporcionar momentos de alegria através da dança e da música, e ao mesmo tempo passar uma mensagem cristã”.


Segundo o cura da Catedral de Lorena (SP),  padre Rodrigo Fernando Alves, Papa Francisco, em discursos e documentos pontifícios, tem pedido à Igreja a construção de pontes, não de muros.


“Podemos dizer que a Igreja vê, partindo deste momento eclesial, todas as sadias manifestações como elementos da cultura, com a qual ela, como mãe, precisa conviver e dialogar”, sublinhou o padre, que lembrou os católicos que, durante as festas populares, é preciso sempre se recordar da condição que os pertence, a de cristãos.


Apesar de sublinhar a possibilidade do cristão viver de forma saudável a festa popular, padre Márcio alertou para a perda do sentido da data e para a forma como muitas pessoas têm aproveitado o carnaval, fatores muitas vezes condenados pela Igreja.


“A Igreja condena, se assim podemos dizer, estes carnavais que falam de traição, ou que apresentam o nudismo como forma de brincadeira. Nós como cristãos sabemos que o corpo é templo do Espírito Santo”, explicou.


De acordo com padre Rodrigo, o católico precisa ter bom senso, maturidade, e assim como São Paulo Apóstolo, não se fazer presente onde se percebe “fraco”.


Um carnaval diferente


A coordenadora pedagógica, Priscila Alves Ferreira Guimarães Dias, lorenense de 27 anos, após passar o carnaval em Salvador (BA), com os amigos, afirmou ter se sentido incomodada com algumas situações que presenciou, de drogas, bebidas e prostituição, e sentiu que precisava fazer algo diferente.


Sentido a necessidade de fazer algo por outros jovens, elaborou em 2009 um retiro. A ideia, segundo Priscila, era unir os movimentos da Igreja Católica de sua cidade e proporcionar um encontro com dinâmica, Adoração ao Santíssimo, palestras, músicas e festas. De imediato, a proposta não recebeu apoio suficiente para que conseguisse ser executada, mas Priscila não desistiu, e anos depois o Movimento de Aldeias de Vida apoiou o projeto.


O retiro, denominado “Aldeia Folia”, está neste ano de 2018 em sua 3º edição e já contabiliza 168 inscritos e 140 voluntários. O encontro, que em sua primeira edição englobava apenas jovens da cidade Lorena – propósito inicial estabelecido por Priscila -, tem hoje a participação de pessoas das cidades de Pindamonhangaba, Taubaté, Santa Isabel, Rio de Janeiro e Minas Gerais.



Para padre Rodrigo, o ser humano, em harmonia, em equilíbrio e fazendo o que é belo e bom, trabalha a espiritualidade, ainda que em momentos que não sigam necessariamente rituais religiosos.


Sobre os diversos jovens que se mostram em dúvida quanto a aproveitar o carnaval nos retiros, ou, aproveitá-lo em outros ambientes, Priscila aconselha: “Se a pessoa tiver um pouco de vontade, deve se propor a viver um carnaval diferente. O que a gente tem de retorno é muito maravilhoso, nos preenche. Não saímos de um carnaval vazios, como a maioria dos jovens sai, saímos preenchidos”, finalizou.



Fonte: Canção Nova

Indique a um amigo
 
contato
Rua do Príncipe 746, Centro - Joinville/SC

CEP: 89201-001 - CNPJ 84.708.478/0002-41

 
 
 
 
 
 

Copyright © 2018 Catedral São Francisco Xavier. Direitos reservados.