Catedral São Francisco Xavier
artigos
Comportamento na Santa Missa
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
Comportamento na Santa Missa

Sim, igreja é lugar para nos sentirmos bem e em profunda paz. Mas isto não significa perder de vista a reverência pelo Sagrado. HOJE EM DIA, infelizmente, muitos não se importam com as maneiras de se vestir e de agir no Santo Sacrifício da Missa. Alguns afirmam que “tanto faz, o que importa é o coração”. Mas o que realmente diz a santa Igreja de Cristo, em seus documentos, a este respeito?


O Catecismo da Igreja Católica diz que, no momento da Sagrada Comunhão, “a atitude corporal, – gestos, roupa, – há de traduzir o respeitoa solenidade, a alegria deste momento em que Cristo se torna nosso hóspede"(§1387).  Por que o Catecismo mencionaria algo aparentemente tão secundário quanto o modo de vestir? Porque a Santa Missa é a renovação do Sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo, verdadeiro Deus, que nos resgatou dos nossos pecados e da morte na Cruz; tal Sacrifício se torna verdadeiramente presente na Santa Missa, no momento em que pão e vinho se tornam, verdadeiramente, Corpo e Sangue, Alma e Divindade de Nosso Senhor (CIC §1373 - §1381).


Sendo assim, a orientação é para que as pessoas não usem, nesse momento tão sagrado, roupas exageradamente informais, ou que mostrem demais o corpo, que marquem os seus contornos de forma provocativa, como decotes profundos, shorts, miniblusas, etc. Afinal, vamos à igreja para encontrar Deus ou para seduzir as pessoas do sexo oposto? Por acaso é a Missa uma ocasião para desfilar sensualidade, para atrair olhares cobiçosos? Evidente que não. – Ocorre que, às vezes, até sem perceber uma mulher é capaz de desviar a atenção de um homem (ou de diversos homens), que compareceram àquele lugar com intenções de santidade. Convém evitar tudo o que contrarie a alegria pura, a solenidade e o respeito da Celebração.
Outro ponto muito interessante a se observar é que o mais elementar bom senso, partindo do princípio de solenidade que o Catecismo menciona, avisa que é muito melhor usar calça do que bermuda ou shorts. Não se vai a uma entrevista de emprego, por exemplo, usando bermuda. Não se entra num tribunal usando shorts. Então, por que tantos acham muito "normal" ir à Casa de Deus vestidos assim? – Partindo do princípio do respeito pelo Sagrado e da não banalização da celebração sagrada, é muito simples entender porque é melhor que uma mulher use uma saia abaixo do joelho ou vestido sóbrio, – ou pelo menos uma calça discreta, – do que uma calça colante, apertadíssima. E porque é melhor que um homem use camisa ou camiseta tipo polo do que uma camiseta modelo regata.
Obviamente, essas orientações devem ser levadas ainda mais a sério por aqueles que exercem funções litúrgicas, como leitores, músicos e, especialmente, os ministros extraordinários da Comunhão Eucarística. Estes acabam servindo como modelo de comportamento para toda a assembleia.
Até há pouco tempo era comum a expressão popular “roupa de Missa”. Em algumas cidades do interior ainda se chama assim à melhor roupa que uma pessoa tem.


O telefone celular daria um capítulo à parte. Em nome de todos os que querem rezar, suplicamos: desligue-o ao entrar na igreja! – A humanidade sobreviveu milhares de anos sem este abençoado aparelhinho, e você não vai morrer se ficar sem ele uma por hora, aos domingos. – Mas, se desligar for um sacrifício assim tão insuportável para você, pelo menos mude a chamada para o modo vibracall. Faça-o, por favor, logo ao entrar na igreja, este é o melhor jeito de não esquecer depois, para que não toque durante a Celebração; sacerdote nenhum merece ter a Homilia interrompida por uma chamada. O pior é atendê-lo no momento da celebração, como se estivesse em sua casa.


 


Devemos lembrar sempre que a Missa é sagrada. Temos momentos de alegria nas celebrações, mas alegria não é sinônimo de bagunça. Celebrar o Sacrifício da nossa salvação é coisa muito séria, e ultimamente têm-se perdido o senso crítico ao entrar na Casa do Senhor, e talvez a consciência de que a Missa é importante em todas as suas partes. Lembremos que é Nosso Senhor Jesus Cristo sendo oferecido pela nossa salvação.


 




Fonte: Diácono João Antonio R. Lourenço

Indique a um amigo
 
contato
Rua do Príncipe 746, Centro - Joinville/SC

CEP: 89201-001 - CNPJ 84.708.478/0002-41

 
 
 
 
 
 

Copyright © 2018 Catedral São Francisco Xavier. Direitos reservados.